segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Conhecer-se!

Na arte marcial do caminho da suavidade – judô –, há um conjunto de leis que o mestre Jigoro Kano, seu fundador, criou para moldar a conduta de seus discípulos: o Espírito do Judô! Estava lendo-o e me vi em todas as situações e acho que você também se verá. Vamos a uma série de textos para entendermos esse espírito!

Conhecer-se é dominar-se, dominar-se é triunfar
: um dos maiores erros que cometemos está no fato de confiarmos demais em nossa força de vontade, em nossa determinação. Conhecer nossos limites, saber até onde podemos ir e até onde conseguimos de fato resistir às tentações é um dom que devemos exercitar diariamente. Assim, saberemos exatamente como ultrapassar com segurança esses limites rumo ao sucesso!

Reconhecer-se vulnerável à tentação e não confiar apenas no seu autocontrole é o grande mérito. Em termos de estudos para concursos públicos, sabemos muito bem onde estão essas tentações. Amigos baladeiros; namorado incompreensivo; churrasco nos finais de semana; família que cobra; internet e redes sociais; preguiças de sair, de estudar, de levantar cedo, de fazer o que deve ser feito; vontades (vícios) de filmes, de séries, de shopping. Enfim, atitudes que nos desviam do objetivo de transformar informação em conhecimento!

Ulisses, o herói épico da Odisseia, de Homero, voltava para casa, ilha de Ítaca, depois da Guerra de Troia, e seu o navio navegava ao encontro das sereias. Ele então pediu aos marinheiros que o amarrassem no mastro da embarcação e tapassem seus ouvidos com cera. O grande Ulisses temeu ceder aos encantos das sereias, porém conseguiu passar delas e chegar a seu destino final.

Ceder para vencer: Até mesmo Ulisses sentiu que não conseguiria resistir, que não teria autocontrole suficiente para não ceder. Ele teve o domínio de si, conhecendo-se e reconhecendo-se frágil. Assim, pôde montar a estratégia para vencer o obstáculo.

Nos seus estudos, você tem de ser assim também. Conhecendo-se, você poderá saber até onde seu autocontrole pode manter você focado, mas principalmente quando ele não conseguirá ajudar você nas tentações. Aí surge a necessidade de se criarem formas de vencer essas tentações de outras maneiras, como fez Ulisses!

Temos de ter em mente que ao reconhecermos nossas fraquezas e nossos limites, não necessariamente abrimos mão da responsabilidade por nossas ações. Apenas admitimos o quanto nós e nossos impulsos somos adversários respeitáveis. Aristóteles disse: “Considero mais corajoso aquele que supera seus próprios desejos do que aquele que conquista seus inimigos, porque a vitória mais dura é sobre nós mesmos.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário